top of page

Pouco tempo em Bratislava, Eslováquia

Não ter passado mais que uma noite na Bratislava foi certamente um dos meus arrependimentos em relação à essa viagem. Por ser uma cidade pequena, todos os sites que li diziam que um dia era o suficiente para conhecer tudo, fiz a bobagem de organizar nossa ida da seguinte forma: chegando no dia 6 de Julho no início da noite, e indo embora no dia 7 de Julho às cinco da tarde.


Em alguma parte do meu cérebro pareceu plenamente possível acordar cedo, pegar um free walking tour, conhecer os principais pontos da cidade e ainda ter tempo pra passear um pouco e depois ir para rodoviária e seguir para Budapeste. Talvez até fosse, mas não foi o que aconteceu. 


Bratislava é aquelas cidades pequenas super charmosas com um ar medieval que te faz querer ficar mais, só pela vibe calma que ela oferece. Realmente não tem necessidade de gastar mais que um par de dias por lá se a ideia for só ter um panorama geral da capital eslovaca, mas ela te convida a passar mais tempo só relaxando e passeando despretensiosamente. Então, de fato, não dei a devida atenção, e espero poder voltar e formar memórias mais sólidas. 

No pouco tempo que passamos, aproveitamos a área do bar do próprio hostel, andamos pelos arredores na noite que chegamos, e no dia seguinte pegamos um Free Walking Tour da Be Free Tours com um guia bastante atencioso, que nos levou pelos principais pontos da cidade. 


A Hlavné Namestie foi um dos primeiros locais que conhecemos, uma pracinha que concentra algumas atrações, tais como: Fonte de Rolando, construída em 1572 para casos de incêndio, a antiga prefeitura (que hoje é um museu), uma estátua de Napoleão debruçado em um banco e uma feirinha. 


Outra praça que visitamos foi a Hviezdoslavovi, gigantesca, que abriga diversos restaurantes e prédios importantes, como o Teatro Nacional (foto de abertura do post).

Eslovacos certamente have this thing with estátuas, pois outra muito famosa (além da do Napoleão) é a do Observador, que nada mais é que a imagem de um homem debruçado para fora de um bueiro... observando. E ela é a atração mais famosa da cidade.

O trajeto de Praga para Bratislava foi feito de ônibus, pela Eurolines. Foi uma das melhores viagens de ônibus, certamente, pois as poltronas eram bem espaçosas e tinha Wi-Fi, que funcionava melhor que a do hostel, posso dizer. Na época, as passagens para eu, minha mãe e meu padrasto custaram no total EUR36,52 (algo em torno de R$165,00).


Quanto a hospedagem, passamos a noite no Pátio Hostel, um hostel no coração da Bratislava, de onde podíamos ir caminhando tanto para o centro turístico da cidade, quanto para a rodoviária. Ele tinha o próprio bar, um quintal aconchegante com mesas e cadeiras, e quartos espaçosos. Os pontos negativos da experiência foram: o Wi-Fi funcionava bem mal, estava um pouco quente e só tinha um ventilador para o quarto todo. O custo total da estádia para três pessoas foi em torno de EUR45 (R$188,55).


Esse post foi originalmente escrito em 29 de maio de 2017. Essa viagem pelo leste europeu, em julho de 2016, foi a primeira vez que eu tive autonomia no planejamento de uma viagem em família.


Não finalizado na época? Não sei. Comentário em 08/02/22.

Comments


bottom of page